17 maio 2006

Miniconto


Vimos o gênero CONTO. Agora vamos conhecer um conto de tamanho reduzido, ao qual denominamos MINICONTO ou MICRONARRATIVA. Esse tipo de texto é um gênero enxuto, com palavras cuidadosamente escolhidas para dizer muito em poucas linhas.

Leia mais sobre
Micronarrativas no site do escritor Marcelo Spalding, autor com o qual iniciamos essa viagem. Leia com atenção o miniconto a seguir.


Fonte:capitulosdehistoria.tripod.com/ id10.html


ÚLTIMO CAPÍTULO

Marcelo Spalding

Helena, Nazaré, Maria e Jade saem do trabalho com pressa, carregam pesadas ancas por calçadas quentes, atravessam ruas e gentes, sobem morros. Ligam a televisão, oito e meia. Último capítulo. O sofá é sujo, os gritos são altos, as paredes, poucas e a vila, grande. O trabalho é trabalho, o mundo é assim. Crucifixos tortos, mandamentos decorados. Mas é o último capítulo e calam as crianças num tapa. Torcem. Gritam. Choram. Enfim, sorriem, emocionadas, corações leves. O final foi feliz. O resto, é ficção.

Após ler o miniconto, reflitam e escrevam o que conseguiram ler nas entrelinhas. O que acharam desse tipo de texto? O escritor Marcelo vai interagir com vocês, após os comentários .

28 comentários:

Mateus. Turma: 81 disse...

Eram mulheres pobres que moravam na favela mas adoravam assistir novelas e não queriam perder o último capítulo.
Esse texto é, curto e bem compreensível, há textos grandes que não se entende nada.

Tobias cestonaro /81 disse...

As mulheres que trabalhavam o dia inteiro para ganhar metade de um salário até nem isso, chegam em casa logo ligam a televisão, as crianças querem mais atenção mas elas não dão, estão mais ligadas na novela e não nos seus filhos.

Karoline Turma 81 disse...

A vida que essas mulheres levam é a realidade de muitas, pobreza, favelas, a religião com suas orações decoradas.A novela, é o que elas não têm na vida delas, é o que sempre sonharam.Não têm muito tempo para as crianças é trabalho, a limpeza da casa,e um pouco de diversão(novela).

ÉRICA,T:81 disse...

Apesar de ser um mini-conto, o autor descreve que na vida real, apresenta vários problemas ou situações ocorridas no dia-a-dia. Desde quando saem do trabalho, até quando sentam em casa, sossegados, assistindo á televisão, torcendo para que tenha um final feliz.

Willian Trevisan-T-81 disse...

A criatividade é muito grande de resumir o que poderia sair em folhas e folhas,passar para apenas seis linhas.Falar sobre a vida de quatro mulheres que por tudo nesse mundo queriam assistir o último capítulo.O ultímo capítulo de uma novela,torcendo e gritando por apenas uma ficção.Pela descrição do texto elas deviam morar numa favela,sofá sujo,gente à beça na vila.Elas deviam não ser muito religiosas.E ao fim choram e gritam com o "grande" final feliz.Essas mulheres representam hoje em dia a vida corrida da humanidade,sairem do trabalho exaltadas e preocupadas com a novela.Como fala o texto isso retrata a nossa vida,ou pelo menos a de muitos.

Rafael .F disse...

Eu achei que o conto esta perfeito pois demonstra que as palavras estao bem criativas, fala sobre pobreza, favela que mulheres trabalham o dia todo e ganham muito pouco chegam em casa e querem assistir o ultimo capitulo, choram, se emocionam e final perfeito, pois poderia ser escrito em muitas folhas palavras claras assim ficou bom em poucas linhas.

André, Anderson.Turma:81 disse...

Na favela há pouca riqueza e muita pobreza, a realidade da favela é que tem muito desemprego.E se a pessoa tem emprego o sálario é pouco.
E quando voltam de sua jornada de trabalho ligam a tv e ficam com seu coração leve.

az disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Taís turma 81 disse...

O miniconto fala sobre a família brasileira na favela. Muitas pessoas se baseiam nas novelas para ser feliz, mas com isso não percebem que a novela não é realidade e acabam sofrendo com a fome e a pobreza. Na novela a vida é uma maravilha, mas na favela a vida é de sofrimento, tiroteio e muita dor e essas munheres querem uma vida como na novela.

Lauro Luvison Turma: 81 disse...

Eu entendi que ele quis mostrar pra gente que ele inventou uma história, o último capítulo da novela, eu entendi essa parte o Trabalho é Trabalho, o mundo é assim, quer dizer que os pobres nao podem reclamar do seu trabalho e o mundo vai ser assim e viver sempre do mesmo jeito.
As mulheres trabalham um dia inteiro so pra ganhar uma metade do salário nem é assim , as mulheres trabalham pra viver etc...

Natana Turma:81 disse...

Nós,seres humanos, ricos ou pobres, nao devemos nos acharmos "mais" que os outros.
Nesse miniconto a realidade da favela está reumida em poucas linhas, mas estátudo muito bem expresso.
As pessoas que levam uma vida pobre, triste, buscam nas novelas o final feliz que gostariam de ter em sua vida, trabalham muito e com isso o tempo que lhe sobra esta para fazer alguma coisa que gosta ou que lhe diverte, que tira os problemas do trabalho por alguns instantes de sua vida.

DANIEL L.. disse...

ESTE MINICONTO FICOU MUITO LEGAL E INTERESANTE E MUITO BEM RESUMIDO. MOSTRA QUE A ´VIDA É DIFÍCIL E NA NOVELA MOSTRA QUE TODOS TEM TEMPO PARA COMPRAS E TER TEMPO PARA TUDO DE BOM QUE EXISTE DAS CIDADES, SÓ QUE NA REALIDADE SE TRABALHA POR UM SÁLARIO QUE PARA MUITAS PESSOAS NÃO DÁ PARA SUSTENTO.

Jonatan Turma 81 disse...

o autor quis falar sobre a desigualdade social,porque as mulheres queriam ter a vida que as mulheres das novelas tem,mas é ficcão, e então ligam a tv e assistem o último capítulo da novela

Tainara, Marina.T81 disse...

Mesmo sendo um miniconto o autor quis mostrar que na realidade não é como nas novelas e sim que é bem mais sofrido.

Daniel Bonatto turma:81 disse...

O texto fala que as pessoas saem do trabalho e vão direto para casa assistir o último capítulo de novela as crianças falam os pais querem silêncio e acabam batendo nas crianças para elas calarem a boca.
Porque os pais chegam em casa tarde, porque eles saem do trabalho tarde ou a casa é longe.

Israel/81 disse...

Apesar do conto ser muito pequeno ele traz grandes ensinamentos ex:que na vida nem sempre tem um final feliz,porque muitas pessoas acham que a novela é a vida real e esse conto desmentiu essa idéia de muitas pessoas
O miniconto é bom para as pessoas aprenderem a raciocinar,e para aprenderem a ler nas entre linhas.

ITAMAR disse...

EU ACHEI O TEXTO MUITO LEGUAL,FALAVA MUITO SOBRE AS DESIGUALDADES SOCIAIS,O TEXTO FOI MUITO BEM ELABORADO.

Tiago /81 disse...

Ele quis dizer que há gente que ganha pouco principalmente as pessoas que moram nas favelas, e assistem às novelas para se distrair e sonhar com o que a novela fala,nas pessoas magras, ricas e muito bem sucedidas, e quando assistem ao último capítulo ficam de corações leves, porque teve um final feliz, mas a vida delas continua como antes, a vida de pobreza e de cansaço.

Giovani Molossi disse...

O texto e bom pois demostra coisas da vida real pois pessoas fazem muitos dessas coisas mas a novela nao serve como exemplo para a nossa vida real pois na novela tem um final feliz e na vida real nem sempre.

Alex Turma 81 disse...

Foi muito bom ter conhecido um pouco mais de você do seu jeito de ser e agir.Marcelo Spalding, você fez um miniconto muito bom, porque você se baseou nas novelas que estamos vendo no dia-a-dia. Você é uma pessoa que faz entender as novelas e os dias de nossas vidas. Você escreveu este miniconto com uma linguagem simples, fácil de entender.

rodrigo turma 81 disse...

O texto quis nos passar que as pessoas saem do trabalho e querem um pouco de sossego, como assistindo a televisão, crianças berram num tapa são caladas, ansiosas e aflitas querem saber o final, mas ele é feliz e pulam de alegria.

Rafael De Conto -81 disse...

o texto representa muitas coisas como por exemplo o morro que seria a favela, as paredes poucas seriam os barracos.
o texto foi escrito explicando muitas coisas em poucas linhas
para ser um bom leitor tem que saber ler nas entrelinhas.

Marcelo Spalding disse...

Gente, fiquei muito feliz que quase todos tenham entendido a minha intenção! Quando a gente escreve um texto curtinho assim o objetivo principal é que o leitor preecha o que falta, pois para preencher o que falta ele precisa pensar. E muitos de vocês pensaram no que eu tinha pensado ao escrever: desigualdade social, maltrato dos filhos e essas coisas todas que infelizmente acontece.

Para mim, literatura deve ser descomplicada mas precisa fazer a gente pensar. Precisa ser mais interessante e profunda que uma novela, por exemplo. Não que ver novela seja ruim, eu já vi muita novela, mas acho horrível que muitos jovens deixam de sair, namorar, jogar futebol, dançar para ver o último capítulo de uma novela. Sem contar a quantidade de pais que deixam suas crianças de lado por causa do último capítulo da novela.

Aí me pergunto: as pessoas ficam felizes com o final dos outros na novela, mas o que elas fazem para ser feliz na vida real? Será que elas lutam para melhorar sua situação?

Um abraço forte!

Marcelo Spalding

Anônimo disse...

Além do desleixo dessas mulheres, faltou comentar o final "o resto ficção". Elas estao tao aficcionadas com a novela, que convencem-se de que a ficção é a realidade e a realidade é a ficçao.

Anônimo disse...

Meu professor pediu para que eu levasse um miniconto para refletir com a sala. E nesse eu encontrei tudo o que precisava, ele gerou uma ótima discussão em sala principalmente pela última frase: 'o resto é ficção'. Parabéns, o texto é maravilhoso e nos faz refletir loucamente.

Anônimo disse...

Meu professor pediu para que eu levasse um miniconto para refletir com a sala. E nesse eu encontrei tudo o que precisava, ele gerou uma ótima discussão em sala principalmente pela última frase: 'o resto é ficção'. Parabéns, o texto é maravilhoso e nos faz refletir loucamente.

Anônimo disse...

Meu professor pediu para que eu levasse um miniconto para refletir com a sala. E nesse eu encontrei tudo o que precisava, ele gerou uma ótima discussão em sala principalmente pela última frase: 'o resto é ficção'. Parabéns, o texto é maravilhoso e nos faz refletir loucamente.

Marli disse...

Olá! Que bom que você gostou. Volte outra vez e deixe teu nome. Abraço!